Koko, nosso novo sistema de analytics

Quando o Manual do Usuário voltou a ser independente, no final de 2018, decidi que não dependeria tanto das Big Techs, em especial de Facebook e Google.

Um dos primeiros impactos dessa decisão foi abdicar do Google Analytics, o serviço mais popular de aferição de audiência usado por sites de todos os portes.

Na época, optamos (eu e James, da Cipher Host) pelo Fathom, um sistema nascente, de código aberto, com foco em privacidade e que coletava e exibia apenas o essencial — em outras palavras, exatamente o que eu precisava.

O Fathom funcionou bem durante todo o período do Manual na Cipher, ou seja, mais de três anos, mas deixou um gosto amargo por mudanças na estrutura do projeto. Em algum momento, logo depois que adotamos ele, a “nova versão” do Fathom não teve o código aberto, passou a ser um SaaS pago, e a antiga, então renomeada como Fathom Lite, teve o desenvolvimento congelado e acabou abandonada.

↗️ Fathom Lite @ GitHub

↗️ Fathom (SaaS)

Quando o Manual migrou para outra hospedagem, não fazia mais sentido insistir no Fathom Lite. Foi a oportunidade perfeita para adotar outro sistema de aferição de audiência.

Na verdade, eu já vinha pensando nisso há meses. Em novembro de 2021, instalei um plugin no nosso WordPress, o Koko Analytics. Desenvolvido por Danny van Kooten, um dos programadores envolvidos no projeto original do Fathom, o Koko é ainda mais simples — uma proposta que em muito me agradava. Basta instalá-lo e pronto, ele começa a funcionar.

↗️ Koko Analytics

Essa antecipação da minha parte tinha um objetivo: analisar as disparidades entre os números reportados pelo Fathom e pelo Koko. Afinal, cada sistema do tipo contabiliza acessos e visualizações de página de formas diferentes, o que significa que disparidades são normais. Queria saber o tamanho da que envolvia os dois sistemas.

Pegando apenas os meses cheios, consegui reunir dados de dezembro de 2021 a junho de 2022.

Curiosamente, o Koko reporta números maiores que o Fathom. Digo “curiosamente” porque, ao contrário do Fathom, o Koko não registra visitas a todas as páginas. Algumas, como a capa, as de arquivos diversos e resultados de pesquisa, não entram na conta. Em linhas gerais, ele só monitora posts.

Na média desses sete meses, o Koko registrou 14,5% mais visitas únicas em relação ao Fathom e 18,8% de visualizações de páginas a mais. Veja na tabela:

É uma diferença considerável, significativa o bastante para desvirtuar a série histórica baseada nos dados do Fathom. A amplitude do percentual de diferença é maior nos números de visualizações de páginas (8,3 pontos percentuais; no de visitas únicas, é de 4,6 pontos).

Diante desse dilema, tenho avaliado a melhor saída. Uma que me ocorre é aplicar um percentual de correção nos números daqui para frente, obtidos do Koko: uma redução de 12,4% no número de visitantes únicos e de 15,4% no de visualizações.

Não é o ideal, mas julgo ser uma boa, ao menos durante um período de transição. A longo prazo, considero três caminhos possíveis:

Ainda não sei o que farei, porém.

início